07.11.2016 Artigo

O PIOR DA CRISE JÁ PASSOU.

O PIOR DA CRISE JÁ PASSOU.

*Rosana Durães dos Santos Zorato

O brasileiro pode respirar aliviado, pois é claramente visível que o pior da nossa crise já passou, a recuperação e a retomada do crescimento já começam a dar pequenos sinais, isso se vê em vários indicadores econômicos demostrando que o pior já ficou para trás.

Devemos saber que o início da recuperação econômica sempre vem nos bens de valor mais baixo, nos serviços mais baratos. Supermercados, normalmente, são os primeiros a sentir a recuperação. Por outro lado, a recuperação deve ser mais forte exatamente nos setores que mais sofreram com a crise, em particular o setor de construção civil e automotivo, onde as vendas despencaram porque tanto a confiança quanto o crédito sumiram. Essas duas coisas voltando, o que provavelmente deve acontecer já ao longo do segundo semestre de 2016, devemos ter uma recuperação ao longo dos anos seguintes bastante forte.

Os economistas esperam em 2017 uma retomada do crescimento, ressaltando, que a confiança do consumidor, que é muito importante para a indústria, está em alta. Uma pesquisa do Bradesco sobre o consumo mostra um crescimento impressionante. Antes, menos de 30% achavam que o consumo iria crescer. Agora, está acima de 80%. Uma expectativa impressionante que levou o setor automobilístico a estimar para 2017 uma venda de 2,4 milhões de veículos vendidos no País.

No início de setembro/2016, indicadores importantes de confiança começaram a mudar de patamar e mostrar também uma melhora. Essa percepção de que a economia deve deslanchar começa a impactar também nas expectativas para o PIB.

O Instituto Datafolha mostrou que a população está mais confiante na queda da inflação, na manutenção do emprego e no aumento do poder de compra. Esse otimismo é o maior registrado desde dezembro de 2014.

Temos ainda, o índice de confiança do empresário industrial que também voltou a crescer em julho/2016, foi a terceira alta consecutiva do indicador. No mercado financeiro, um dos indicadores mais usados para avaliar o risco Brasil caiu ao menor nível em 11 meses.

A maior prova desse otimismo se concretiza na data de 14/10/2016 no mercado acionário, dezoito grandes empresas do país tiveram valorização superior a 100% entre janeiro e outubro de 2016. O recorde vai para o Magazine Luiza, com valorização de 412%. Em segundo lugar, a Eletrobrás viu suas ações subirem 261%, e na terceira colocação, a Sanepar, de tratamento de esgoto, com 193% (dados revista veja), vejamos o ranking:

1- Magazine Luiza – 412%

2- Eletrobras (ON) – 261%

3- Sanepar – 193%

4- Gol – 164%

5 – Sid Nacional – 155%

6- Fleury – 148%

7- Ser Educa – 146%

8- Usiminas – 143%

9- Eletrobras (PNB) – 137%

10- Gerdau Met – 131%

11- Petrobras – 129%

12- Copasa – 119%

13- Viavareio – 118%

14- Bradespar – 115%

15- Le Lis Blanc – 110%

16- Banrisul – 107%

17- M. Diasbrnaco – 106%

18- Gerdau – 104%

Com certeza Luiza Trajano, do Magazine Luiza tem motivos para festejar sua conquista, mas isso prova que podemos respirar aliviados, tendo em vista que o pior já passou e o Brasil já voltou a crescer, ainda temos muitas coisas para acertar, mas uma coisa é certa: “Nesse momento dá para ser cautelosamente otimista para o futuro”.

*Advogada do escritório Resina & Marcon Advogados Associados. Possui graduação em Direito pelo Centro Universitário de Campo Grande – UNAES. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Privado, Pós Graduada em Direito e Processo do Trabalho pela Instituição UNAES, Pós Graduanda em Direito e Gestão Corporativa pela Instituição Estácio de Sá/Harvard,  http://lattes.cnpq.br/4261765412078876.

 

Rosana Durães dos Santos Zorato
Advogados Associados

.